X
Menu
X

5 dúvidas que você não precisará mais ter sobre Design Thinking

5 dúvidas que você não precisará mais ter sobre Design Thinking

ProXXIma

Aeconomia está mudando tão rápido quanto as necessidades do mercado. Diante disso, ser inovador é fundamental e isso vale tanto para empresas quanto para os profissionais que as formam. Dentro desse novo mundo em constante transformação, há um processo que está em alta nas discussões que envolvem empreendedores: Design Thinking.

Mesmo em alta entre os entusiastas do tema, muitas dúvidas permanecem sobre o que é e como podemos aplicar o Design Thinking no dia a dia, em especial na forma de inovar e pensar em soluções para os nossos problemas. E para sanar essas dúvidas e incentivar o uso desse modelo de forma assertiva e que traga resultados, Mario Rosa, sócio e responsável pela Echos, laboratório de inovação que utiliza o Design Thinking para propor soluções que transformam realidades e constroem futuros desejáveis, explica alguns conceitos da metodologia. Confira abaixo.

1.O que é Design Thinking?

É um modelo mental que abrange o pensamento pluralista, aquele que aceita a convivência de diferentes opiniões, e o pensamento sistêmico, que analise o ser humano sob a perspectiva da complexidade, considerando também o contexto em que o indivíduo está inserido. O Design Thinking não acompanha um pensamento linear e, caso seja extremamente simplificado, pode perder seu valor.

As primeiras ideias sobre Design Thinking surgiram entre o fim da década de 60 e o começo dos anos 70, com o grande diferencial de ter o foco totalmente voltado para o ser humano, propondo uma nova maneira de pensamento que é permeada por: empatia, colaboração e experimentação. A metodologia visa acelerar a inovação e apresenta caminhos para a solução de problemas complexos, mas, ela não é uma caixinha mágica!

2. Afinal, qual é a ligação com a inovação?

Inovação é caracterizada por tudo aquilo que traz relevância para a vida das pessoas a partir de algo novo, de outro nível para a sociedade. E a relação com o Design Thinking é justamente essa, propor o que é desejável pelas pessoas e projetar, levando em consideração tecnologias emergentes.

Entretanto, antes de tudo isso precisamos entender o que é realmente desejável pelas pessoas. E é aqui que entra o Design Thinking com a metodologia de não apenas resolver um problema, mas trazer qual solução é a que mais se apropria para aquela situação.  Ter em mente o que é desejável, é o primeiro passo, antes mesmo de entender qualquer solução e viabilidade financeira.

3. Ele pode ser um apoio na resolução de problemas?

O pensamento relacionado ao Design Thinking traz um modelo mental e de natureza flexível e por isso ele conecta com as reais necessidades das pessoas e procura estimular a experimentação, para que os erros possam servir como aprendizado. Dentro desse processo, o erro é tido como parte da jornada. Sendo assim, o Design Thinking apresenta uma nova forma de chegar a uma solução.

4. E como o Design Thinking pode ser utilizado nas empresas?

Há cada dia mais pressão dentro das empresas pela inovação, pelo pensar fora da caixa e isso torna os ambientes altamente regulados e complexos. A partir disso a busca pelo Design Thinking cresce, como forma de inovar e obter novos caminhos. Os maiores exemplos são para companhias do segmentos de saúde, educação e financeira. A grande procura é prova de que o caminho percorrido até aqui pelas empresas tradicionais, não é necessariamente centrado em pessoas e que precisa de mudanças.

5. Qual é o benefício para as empresas?

Todos sabem que não há fórmula mágica para garantir sucesso nos negócios. Entretanto, é possível que os riscos sejam minimizados quando empreendedores trabalham com a metodologia do Design Thinking para desenvolver seus negócios. É uma forma de se relacionar com os clientes de forma assertiva e assim, garantir que seus produtos e serviços estejam de acordo com as necessidades do consumidor.

Pensando pelo lado dos recursos humanos das companhias, a aplicação do Design Thinking transforma os profissionais, que se dedicam a um processo colaborativo, empático e com foco em experimentar e testar para alcançar resultados melhores. Esses são comportamentos exclusivos de times de alta performance e que impacta diretamente nos resultados da companhia.

Nplan Marketing

 

You Might Also Liked

A reinvenção do QR Code no marketing IBM vende sua plataforma de marketing Uma nova era no varejo, mais digital e mais humana Campanha multitelas de Ovomaltine inova comunicação em TV Conectada Marketing e Branding: como os chatbots podem fazer a diferenca Quem não se transforma, não sobrevive A moeda da eficácia em marketing Enquetes do Instagram agora podem ser feitas por mensagens diretas
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *